terça-feira, 16 de abril de 2013

Publ. avulsas conserv. ecossistemas, 18:1-28 (set. 2007)

CASTRO, Antonio Alberto Jorge Farias. Unidades de planejamento: uma proposta para o estado do Piauí com base na dimensão diversidade de ecossistemas. Publ. avulsas conserv. ecossistemas, Teresina, n. 18, p. 1-28, set./2007 (Série: Publicações Prévias). ISSN 1809-0109.
DOI: http://dx.doi.org/10.18029/1809-0109/pace.n18p1-28.

RESUMO
O trabalho consiste em mostrar que a diversidade biológica, como dimensão, é necessária para se pensar em um desenvolvimento sustentável, que seja socialmente mais justo, ecologicamente mais prudente e economicamente mais eficiente. A partir desta premissa, apresentam-se algumas das abordagens que podem ser feitas, associadas com os conceitos e os tipos de Bioma ou Grandes Ecossistemas característicos do estado do Piauí. A proposta de delimitação de unidades de planejamento toma como base, portanto, a diversidade de ecossistemas, a partir de mapas temáticos e dados até então disponíveis. A sobreposição municípios/ecossistemas nessas unidades deverá ser amplamente pactuada, e em alguns casos, deverá depender de zoneamentos ecológico-econômicos municipais. Para efeitos iniciais, a Caatinga envolveria 63 (28,4%) municípios com uma ocupação de área de cerca de 52.664km²o Cerrado envolveria 27 (12,2%) municípios associado a uma área de cerca de 50.150km², a Mata de Babaçu envolveria 30 (13,5%) municípios e uma área de 21.636km², os Ecótonos (Áreas de Transição ou Áreas de Tensão Ecológica) envolveriam 93 (41,9%) municípios com uma ocupação de cerca de 123.553km², dos quais 60 municípios seriam Setentrionais e 30, Meridionais. A vegetação do Litoral, por sua vez, envolveria 9 (4,1%) municípios e uma área de 5.032km².
Palavras-chave: Unidades de Planejamento; Grandes Ecossistemas; Biomas; Pacto Social; Zoneamento Ecológico-Econômico; Estado do Piauí.

Nenhum comentário:

Postar um comentário